Nem sempre há consenso sobre a melhor forma de se definir estes dois itens importantíssimos, pois muitas vezes sua compreensão e seu uso variam de autor para autor e/ou de roteirista para roteirista.

Desta vez, os profissionais que comentam as principais características da Logline e da Premissa, suas particularidades e sua importância são David França Mendes,  diretor de criação e roteirista-chefe da produtora Mixer; Julia Priolli, roteirista e gerente de conteúdo original da Fox; e César Cabral, roteirista, produtor e diretor em projetos para Cinema e TV, como Dossiê Rê Bordosa e Angeli The Killer, e coordenador do Núcleo Criativo da Coala Filmes.

Confira:

LOGLINE:  é a história resumida em uma frase. O resumo do plot, do protagonista e do objetivo em uma única sentença.

“A Logline é uma linha explicativa. Para mim, ela pode ter até cinco linhas ou um parágrafo, mas é o momento do autor exercer seu poder de síntese e conseguir explicar sua ideia em um parágrafo.”(Julia Priolli)


PREMISSA: O desenvolvimento da ideia onde a narrativa e seus valores começam a tomar forma.

“A premissa se diferencia muito pouco da Logline nesse sentido. É só talvez uma Logline mais detalhada, algo que a gente pode chamar de o “coração da série”. E isso é essencial no projeto.”(David França Mendes)

DAVID FRANÇA MENDES – Diretor de Criação e Roteirista-Chefe da produtora Mixer

Há uma grande confusão quando o assunto é definir cada um destes elementos. Grande parte do problema com esses termos deve-se ao fato de que os livros e materiais sobre roteiro e sobre cinema no Brasil são sempre muito mal traduzidos. As poucas editoras que publicam livros sobre o assunto realizam uma revisão técnica apurada.

Há um livro ótimo que eu sempre recomendo, mas nele o conceito de “Treatment” é traduzido como tratamento, quando o correto seria “Argumento”; “Draft”, que seria Tratamento, é traduzido como Rascunho (um termo que não se usa na prática do roteiro); e “Outline”, que seria Escaleta, é traduzido como Esboço.

Então, as pessoas que vão tentar aprender com o livro ficam prejudicadas com essas definições traduzidas erroneamente. E isso é muito frequente. É a principal fonte dos problemas que temos com terminologias.

Logline: qual seu papel no roteiro e qual a importância para o projeto, como um todo

A Logline não tem uma relação com o roteiro dos episódios. Ela tem relação com o projeto da série. Por exemplo, a Logline de Breaking Bad, é: Um professor de química que descobre que tem câncer e vai fabricar metanfetamina. É a série em uma frase.

Ela tem importância do ponto de vista criativo porque se você tem uma logline clara, ela te dá um norte. Mas isso não significa que é a primeira coisa a ser criada. Na maioria das vezes, ela surge ao longo do processo.

Mas a maior importância da Logline não é criativa, mas sim no momento de se vender o projeto, de levá-lo ao mercado. Quando se chega com um projeto em canal ou  produtora com uma boa Logline, você apresenta para o executivo e ele entende imediatamente como vai poder vender aquilo. Esta é a grande utilidade da Logline: ele escuta o que você apresenta e enxerga como vai levar aquilo para o público dele depois, ou para o próprio público interno do canal. Dificilmente o executivo vai aprovar o projeto sozinho. Então, até mesmo essa venda interna é facilitada por uma boa Logline.

A função da Logline é muito mais de mercado do que criativa.

Premissa: como identificá-la no projeto e diferenciá-la da Logline?

A premissa se diferencia muito pouco da Logline nesse sentido. É só talvez uma Logline mais detalhada, algo que a gente pode chamar de o “coração da série”. E isso é essencial no projeto. Como tudo, acho que não tem uma ordem dos fatores exatamente. Você não precisa necessariamente ter a premissa antes de ter o arco da temporada. É preciso saber o que se está fazendo e ter um norte de onde quer chegar. E essas definições vão se concretizando, se consolidando e também se transformando até certo ponto.

Premissa, Logline são o que eu chamo de certezas provisórias. Você precisa de uma certeza para caminhar, mas o caminhar pode te mostrar que aquilo não é bem assim. Então, você descarta aquela certeza e vai buscar uma certeza nova. A premissa é uma coisa que deve evoluir desta maneira: como uma certeza provisória até que ela se torne uma certeza, de fato.

JÚLIA PRIOLLI – Roteirista e gerente de conteúdo original da Fox

Logline X Premissa e a importância para o processo de Pitching

A Logline é uma linha explicativa. Para mim, ela pode ter até cinco linhas ou um parágrafo, mas é o momento do autor exercer seu poder de síntese e conseguir explicar sua ideia em um parágrafo. O Pitching deveria ter esse papel também. Fora do Brasil, fala-se que o Pitching é o tempo do elevador subir até o oitavo andar, o tempo que você teria com o executivo de um canal ou de um estúdio para vender sua ideia. Você precisa contar toda sua ideia nessa Logline, ou seja, se ela não cabe em um parágrafo é sinal de que ela não está muito concretizada, que sua premissa não está sólida.

Conflito central: uma pergunta que resume a premissa

Todas essas premissas de séries se baseiam num conflito central. Tenho focado muito nessa questão do conflito central como uma pergunta quase retórica. E faço esse exercício de fazer esta pergunta diante de tudo que  assisto.

Por exemplo, Breaking Bad: como sobreviver sem perder a humanidade?

Essa pergunta central, não sei se podemos dizer que é a premissa, mas é ela que move a premissa, ela que testa a premissa, e ela precisa estar presente desde o episódio-piloto. Se você olhar, todas essas séries têm essa questão central. E essa premissa tem que conter a pergunta que move a sua série.

CÉSAR CABRAL – diretor e coordenador do Núcleo Criativo da Coala Filmes

Premissa (equipe criação envolvida) x Logline (mercado e possível público)

A premissa me ajuda muito a manter um norte para o projeto. Em geral, meus projetos nascem de uma premissa e, ao longo do desenvolvimento e produção, fico retornando a ela para ver se estou no foco.

Sobre a Logline, penso que ela ajuda muito a organizar a ideia da história em si, o que vai ser contado. Acho que funciona para refletir se em uma ou duas linhas temos algo interessante a dizer. Mas a vejo muito como um exercício para sintetizar o filme e transmitir a história para alguém que está de fora.

Para mim, a Premissa tem muito mais importância do que a Logline. Se pudesse resumir o papel de cada uma, diria que a primeira trabalha internamente (equipe de criação envolvida) e a segunda externamente (possível público).

Receba NossasNovidades